top of page
  • Lucas Resende Toso

Jogos de luta e porradinha de rua pra ficar de olho em 2024

Sapos distópicos, samurais, dinossauros e TGA envolvidos nos jogos de luta e beat 'em ups brasileiros



Misturando jogos de luta e de porradinha de rua (os famosos beat 'em ups) pra mostrar a qualidade da trocação franca brasileira.


E, claro, pra exaltar também o fato de termos emplacado logo dois jogos indicados a Melhor Jogo de Luta no The Game Awards de 2023 - Pocket Bravery, da Statera Studio, e God of Rock, da Modus Games.



Chamado carinhosamente de "Dois Tapa" aqui pelo Controles Voadores, Two Strikes é um dos jogos brasileiros mais bonitos sendo feitos atualmente, com personagens monocromáticos desenhados e animados a mão e muito sangue. Uma mistura de Kurosawa e Tarantino se ambos virassem um jogo de luta.


No jogo do dev Dan Barbosa, um ou dois tapas já fazem o serviço. Two Strikes exige paciência pra estudar seu oponente e tentar abrir uma brecha e precisão pra acertar seus golpes - porque pode ser sua única chance. O jogo está previsto pra ter oito lutadores em sua versão de lançamento.



Depois de dominar as feiras de jogos em 2023 e receber uma indicação a Melhor Jogo de Luta do ano no The Game Awards, nada mais justo do que ficarmos de olho em Pocket Bravery também em 2024.


O fantástico jogo da Statera Studio deve receber ainda mais conteúdo, com novos lutadores e novos cenários de luta, além de mais suporte pro competitivo de Bravery - que chegou a ser um dos jogos da EVO (maior campeonato de jogos de luta do mundo) em 2023.



Indo pro lado porradinha de rua da lista, Reality Rash é uma grande carta de amor pros beat'em ups clássicos, mas principalmente pra Jackie Chan Stunt Master, de PlayStation 1.


Envolvendo experimentos catastróficos, viagem entre realidades diferentes e muita porrada, o jogo tem quatro mundos distintos que precisam ser explorados pelos dois protagonistas - Fred e Jessy. Reality Rash é pra ser jogado no bom e velho estilo beat'em up, sem habilidades desbloqueáveis nem árvore de poderes, podendo pegar armas do chão e descer a porrada sem querer nos amigos.



Com uma ação totalmente frenética e suporte pra até quatro jogadores, Changers Seven é uma salada de referências ao Super Sentais temperada com uma narrativa cheia de traição e vilões icônicos.


O jogo tem mecânicas clássicas de beat 'em ups misturadas com a loucura de combates hack 'n slash e muitos efeitos visuais dos poderzinho bacanudo de cada um dos bonecos estilosos.



O próximo titulo da Modus Games é um jogo de luta cooperativo. Sim, isso mesmo. Diesel Legacy: The Brazen Age é porradinha dois contra dois, com cenários que envolvem três pistas diferentes pra aumentar a complexidade das lutas.


Num universo dieselpunk em que uma corporação explora e monopoliza os recursos energéticos, cabe aos jogadores lutarem pelo futuro da Cidade do Ferro. O jogo tem dez lutadores com estilos e visuais diferentes: de uma mafiosa que manda seus capangas atacarem e joga granadas a um cientista que abusa dos tóxicos e invenções.


A Modus Games também é o estúdio guarda-chuva por trás de outros dois jogos de luta: Them's Fightin' Herds (lutinha de My Little Ponny de 2020) e o premiado jogo de luta-musical God of Rock, do ano passado. Então sempre podemos esperar novos conteúdos vindo pra esses dois títulos.



Streets of Chaos é ao mesmo tempo uma homenagem aos beat 'em ups antigos e uma renovação da fórmula, com várias propostas novas e frescas. O jogo conta a história de um lutador em busca de seu irmão que acaba em uma cidade dominada pelo crime e precisa descer o sarrafo em geral.


Além de três personagens com estilos de luta diferentes pra explorar o modo história, Streets of Chaos também tem um modo sobrevivência, modo versus pra virar um jogo de lutinha, modo arena com times de 16 contra 16 e até modo de futebol meio battle royale. Conteúdo que não acaba mais.



Carinha de anime, narrativa de anime e porradinha estilosa tipo beat 'em up. Travis' Coward Combustion é um jogo de ação em plataforma em que o protagonista é um otaku covarde e totalmente sem sorte na vida.


E ele continua sem sorte, já que seu corpo acaba controlado pelo megalomaníaco espírito do Sol, que gosta de meter o louco e destruir robôs e agentes policiais. E sobra pro Travis a dor de cabeça e a ressaca de ter virado uma máquina de matar cheia de poder do dia pra noite.



Saindo um pouco do 2D, Forasteiro é um legítimo beat 'em up em três dimensões com temática de faroeste, porradaria franca e uma treta que pode instaurar o caos no mundo. NANI?!


Indo na direção de Sifu, com golpes e especiais desbloqueáveis, o jogo mistura os combates frenéticos dos jogos de porradaria com finalizações em quick time events e história contada com cutscenes desenhadas e animadas à mão.



Com um universo digno de Mad Max, Savage Fist é um beat 'em up classicão com um protagonista bombadão meio sapo-meio humano lutando contra gangues de um futuro distópico e desolado.


Além de muito estilo e combate fluidinho, o jogo é todo desenhado e animado à mão pelo dev Alexandre Belmonte. Vamos ficar de olho pras atualizações sobre Savage Fist, mas gostamos demais do que já vimos.



Outro feito diretamente pros Mega Drives, Dino Fighters é o joguinho de luta do animador Juca Jacaré, com pelo menos 14 dinossaurinhos simpáticos com habilidades e estilos de luta únicos.


O jogo tem uma pixel-art e animações muito crocantes, além de excelentes vídeos e cenas animadas pelo Juca. Dino Fighters deve ganhar uma nova animação promocional em breve, esperamos que venha com alguma data de lançamento também, ou o anúncio da série animada desse universo.



Dan - Guerreire do Arco-Íris conta a história de uma criança não-binária lutando contra a intolerância e o bullying sofridos em sua escola, numa jornada de autoconhecimento, robôs gigantes e porradaria.


O jogo também aborda questões de religiosidade, com Dan passando por fases que representam as cores do arco-íris e descobrindo mais sobre a cultura yorubá ao lado de seu mentor espiritual, Besouro Mangangá.



Bunny Battle Nemesis é um beat 'em up dentro do universo de jogos da DCF Studios, ao lado de Cruz Brothers e Tony and Clyde. Seguindo o caminho dos primeiros títulos do estúdio, Bunny Battle também ostenta um estilão espalhafatoso, engraçadão e carregado na violência visual.


O jogo tem personagens bem edgy com combos estilosos pra limpar hordas de inimigos robóticos que parecem ter saído de um bom quadrinho.



Literalmente fazendo jogos há mais de vinte anos, o dev Yuri d'Ávila vem trabalhando em um jogo de luta na pegada dos primeiros Mortal Kombat sobre um torneio até a morte envolvendo pessoas que foram presas - justa ou injustamente - em que a liberdade é o prêmio final.


Lunatic Fighters está sendo feito diretamente pra Mega Drive e Sega Genesis e emula aqueles gráficos surpreendentemente realistas dos primeiros jogos de luta.



155 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page