top of page
  • Lucas Resende Toso

Como foi o primeiro Blablablá com Jogos em SP

Atualizado: 14 de set. de 2023

Encontro reuniu devs experientes e novatos em bar em São Paulo


Alguns aninhos e uma pandemia mundial depois, a Firma Game Dev teve o prazer imenso de dar o empurrão pra mais um encontro informal com desenvolvedores de São Paulo na última quarta-feira (10/09) pré-feriado patriótico do 07 de setembro.

Eu fui pro bar gamer cheio de luz neon ali entre o Ypiranga e a Vila Mariana (Loot Gamers League) sabendo que ia encontrar alguns amigos de outros eventos, tipo o Zé Wilson, o Rafael Braga, a Ariel Moreira, o Léo Castanho e o Luiz Duarte, mas foi uma surpresa extremamente deliciosa e crocante ver o tanto de gente que somou, tranquilamente na casa das 50 pessoas, talvez mais. Teve os incríveis Glauber Kotaki, Thommaz Kauffmann, Dani Serranú e Thomas Lessa (nomes de peso da cena brasileiro), a super querida Lia Fuzy, uma das maiores agregadoras do indie br, e uma baita galerinha nova boa demais levando seus primeiros jogos e compartilhando excelência com a gente. Além de programadores querendo entrar pro mundo dos joguinhos e dando aquela procurada em artistas e coisas do tipo. O Blablablá foi SHOW.


Agradecer ao queridissimo Gordon Bell, dev britânico com mais de 25 anos de indústria dos joguinhos e atualmente CTO da Nosebleed Interactive. Ele meio que foi a faísca pro Blablablá acontecer e fez por onde, trocando ideia com todo mundo que tava por ali e testando vários jogos do pessoal.


E também ao povão lindo que sempre agrega, tipo a Lia e o Breno, do IGDA, que coincidentemente acabaram fazendo um encontro parecido na mesma semana, só que na sexta, e que compartilham a vontade de juntar tudo numa salada só e voltar a reunir o grupinho com mais frequência. Vai rolar, vai rolar.


Fiquem tranquilos que o Blablablá vai voltar. Reunir joguinhos, devs e bar é uma combinação muito boa - e fácil de fazer. E pra documentar esse primeiro evento menos pretensioso da "volta do Firma raiz", bora com uma listinha dos jogos que rolaram soltos por lá.


Quem sabe isso não encoraja outros devs que não sentiram muita firmeza na primeira edição a chegar junto no próximo bar, né não? *E se você levou seu jogo lá, mas eu acabei esquecendo de anotar, me dá um salve e vem com nóis.



Joguinho de plataforma, você se mexe e os inimigos se mexem junto. Coisa linda, primeiro jogo solo do Caio - que é dev de software e camarada de Godot.




O maravilhoso do Rafael Braga levou esse jogo temático de 07 de setembro. Embalado pela musicona fortíssima d'As Menarcas.




A Helen, o Rafa e o Will chegaram tímidos, mas logo reuniram uma galera em volta desse jogo LINDO de uma marionete sobrevivendo sem suas cordas.




Se Animal Crossing fosse um deckbuilder roguelike. Terracards tá redondinho e um dos devs ainda me mostrou um futuro clicker de abelhas que quero MUITO jogar.



Mais uma vez pudemos sentir o caos crescente de Princesa das Nuvens. Tem que consertar vidro, parede, apagar fogo e ainda acalmar a princesa. O famoso simulador de faz-tudo.



Plataforminha de ação mega estiloso. Seja um espírito trombadinha e roube o corpo de um otaku pra quebrar geral.



Clássico instantâneo que já tá pra sair, Astrea também deu as caras no Blablablá. Construção de "baralhos" de dados e arte fora de série.



Jogo de luta pra quatro jogadores, com bonecos e animações muito lisinhas e uma temática diesel-punk + magia que tá CREMOSA.



Outro que nasceu clássico. Sokoban com mecânicas de PUM. E puns POTENTES. A história do Linguini é trágica, mas hilária.



Muscadine - Ana Tega + Iêda Shieh + João Pedro + Nina Martinho + Vitor Citro


Projetíssimo de um grupo de devs e artistas recém ou quase-formados. Um plataforma 3D sobre uma ratinha procurando itens em uma cozinha enorme. Coisa lindja.

262 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page